O Evangelho Segundo São Mateus

O Palco Giratório 2011 tem me feito mais feliz, pela qualidade dos espetáculos. Sábado 09.04 o Sesc Iracema recebeu a Grupo Delirios, de Curitiba, com o espetáculo “O Evangelho Segundo São Mateus”. Quando vi o nome, devo admitir que fiquei um tanto receosa com o que encontraria, mas lembrei que a direção e o texto eram de Edson Bueno, com quem me encantei ao assistir Capitu. Precisava ir e fui. Cheguei em cima da hora e ao entrar e ver o teatro lotado senti uma alegria na alma. Não havia ali nenhum super global e o teatro estava cheio. Sentei-me em um cantinho da não muito confortável arquibancada e...

Os atores quebram a quarta parede e conversam com o publico? Seria já o espetáculo? Perguntei-me, mas logo o espetáculo de fato começou e isso ficou nítido para mim e creio que para todos.
Surgem então cinco padeiros, ou devo dizer bagunceiros? O que interessa é que eles ocupam a cena, digo a cozinha e enquanto fazem o pão, desde a preparação até o pão prontinho, conversam sobre o “Evangelho de São Mateus”. Poderiam ficar por ai, mas daí não seria o Grupo Delirios, dessa forma, paralelos ao pão e ao Evangelho, dois deles, interpretam a mãe e o filho, extraídos poeticamente do “Oitavo Poema do Guardador de Rebanhos”, de Fernando Pessoa, onde o filho conta para sua mãe que tem um amigo fugido do céu. À medida que o pão vai sendo feito, a história se conta, não pela ação, mas pela palavra, tudo na peça acontece pelo poder da palavra e a reflexão sobre ela, desde a anunciação até a ressurreição, com maravilhosas tiradas e bom humor, que levam elenco e publico a uma grande brincadeira. De alguma forma é simplesmente um leitura humanista da história, com parábolas, passagens, poesia, sobrou espaço até mesmo para Clarice Lispector e suas palavras e sentimentos humanos.
Como é característica do grupo, que já existe a quase 30 anos e já encenou mais de 40 espetáculos, “O Evangelho Segundo São Mateus”, busca a pesquisa da palavra, a humanidade e por conta disso talvez, trabalhem com espetáculos abertos. Que vai desde piadas com e sem graça, cafezinho, vinhos e pães, compartilhados com a platéia que depois do vinho certamente sorriu mais fácil.
Não posso deixar de comentar o trabalho de improvisação, assim como técnica e talento dos atores. A atriz Regina Bastos é a típica mãezona. Iluminação e sonoplastia também dão show deixando clara a intimidade da equipe com esse espetáculo que já em 2008 foi considerado pela critica como um dos melhores do ano.

O grupo seguiu viagem para encantar outros estados, mas certamente quem assistiu o espetáculo; “vendo, enxergando e ouvindo, escutando”, pode agora pensar segredos.
O Palco Giratório segue sua programação, então, vamos ao teatro!
Todo mundo merece ler os blogs
e...
Link Poema Fernando Pessoa

Comentários

  1. Muito obrigado Ro, é muito satisfatorio ver percepções tão sensiveis e de bom gosto como as que acabei de ler.

    É ótimo que existam pessoas como você, que consigam repassar aos emoções sentidas em palavras e nos dar esse presente.

    Quero fazer sempre o espetaculo, pensando que em algum cantinho desconfortavel da plateia terá uma Roberta nos assistindo com a alma aberta.

    Quem lhe escreve é Guilherme, o atual "menino-Jesus", perceba no video, que esta é a gravação da primeira vez que assisti o espetaculo, fui me sentar no meio da mesa de tamanha empolgação. rsrs

    Um beijão!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Some:

Postagens mais visitadas deste blog

O Poder do NÃO Positivo - William Ury

“A Arte é uma Arma Carregada de Futuro” Fantoche Cine Clube – Noviembre

Rosa Morena, de Carlos Augusto de Oliveira.